EDIFÍCIO MULTIFUNCIONAL E TÉCNICAS DE SUSTENTABILIDADE APLICADAS

O terreno proposto se localiza no bairro central da cidade de São Paulo e conta com completa infra-estrutura, como transporte público, comunicação e redes hídricas. O programa que deveríamos atender(habitação + comércio + serviços) propõe o devido uso dessa infra-estrutura instalada.

O projeto de um edifício multifuncional com a parcela residencial absorve 288  novos moradores.O centro de São Paulo viu, nas últimas décadas,seu esvaziamento populacional residente, se tornando um lugar quase exclusivamente para trabalho. Toda a infra-estrutura fica sub-utilizada, enquanto a ida desses antigos moradores da República para outras áreas demande melhorias onde antes não era necessário.

Ao mesmo tempo que são criadas habitações, o terreno também abrigará uma parcela de comércio e serviços e, como uma das premissas da Sustentabilidade, irá gerar emprego e renda que podem virem a ser aproveitados pelos próprios moradores da região. O edifício aqui proposto pretende valorizar o solo, pois este, no local do projeto, é caro e servido por completa infra-estrutura.

1.LOCALIZAÇÃO

TERRENO LOCALIZADO EM FRENTE A PRAÇA DA REPÚBLICA, NO CENTRO DE SÃO PAULO.

2.O ENTORNO – FOTOS E VOLUMETRIA EXISTENTE

3.OS PLANOS ESTRUTURAIS DO PROJETO

Observados os materiais utilizados e seu pesoespecífico, e a carga acidental, considerando tambémo peso próprio da estrutura, distribuidos suas cargas através de suas áreas de influências e considerando resistência do perfil metálico igual a 1000 kgf/cm², deu-se que as dimensões das peças metálicas a serem utilizadas em toda a estrutura são as seguintes:

Mesa – 20cm com espessura de chapa = 10mm.

Alma – 38cm com espessura de chapa = 15mm.

Este dimensionamento é valido tanto para vigas como pilares.

4.DIAGRAMA DE USOS

5.O PROJETO

A estrutura metálica não necessita de contraventamentos fixados nos perfis metálicos para garantir a estabilidade global da estrutura. A estabilidade desta se dá através do chumbamento da estrutura junto ao núcleo rígido do edifício (caixa de escadas e elevadores) que, executado em concreto armado, resiste aos esforços horizontais às quais a estrutura está submetida. O material escolhido para os perfis metálicos foi o aço cos-ar-cor, também conhecido como aço patinável. Uma das suas características é a oxidação natural da peça, que produz uma pátina (camada) que protege a estrutura. Outra característica, e do ponto de vista estrutural mais eficiente, é que essa pátina enrijece ainda mais o metal, atingindo uma resistência mecânica consideravelmente melhor.

A cobertura do edifício residencial irá abrigar uma plantação eólica, capaz de gerar energia diariamente para 50 apartamentos com consumo médio de 178kw/h por mês. Dados obtidos através de:

P=1/2r . v³ . p.r²P=247kw/h por mês

Onde: P = potência instalada

v = potência do vento

p=pi = raio da hélice

PLANTAÇÃO EÓLICA NA COBERTURA

Buscando soluções para tratamento das águas servidas do edifício, o projeto engloba um sistema natural de filtragem anaeróbico de águas, através de raízes de plantas como a Íris, que além de alto poder de absorção de toxinas, floresce anualmente. A água extraída pode ser liberada “limpa” para a rede de esgotos, ou utilizada em rega e lavagem geral. Lembrando que a água não se torna potável.

TANQUE ANAERÓBICO

A fim de evitar custos maiores com o serviço de manutenção das áreas verdes, este esquema abaixo mostra uma opção de rega através da capilaridade. A água das chuvas, ou da reutilização das águas servidas, penetram no solo onde parte fica armazenada (a outra parte é capturada pela vegetação e o restante evapora). A água reservada será puxada pelas raizes das plantas, ou pela tendência a evaporar e subir, fazendo automaticamente a rega.

SISTEMA DE REGA

A implantação do edifício segue parâmetros naturais de insolação e ventos, a fim de aproveitar com a máxima eficiência, os recursos naturais renováveis geradores de energia.

Para tanto foram estudados os mapas de vento e insolação, conforme mostram as figuras abaixo.

MAPA DE INCIDÊNCIA DE VENTOS E INSOLAÇÃO NO BRASIL

6.AS PRÁTICAS DE SUSTENTABILIDADE

O SUPER ADOBE

O super adobe é terra batida e empilhada em sacos formando a alvenaria. Basta chapiscar por cima e aplicar demais revestimentos normalmente. Toda a alvenaria do edifício seria construida com esta técnica. A terra seria proveniente da própria escavação do subsolo. Por ser ensacada, a terra não necessita de tratamento ou limpeza. Sua estabilidade estaria garantida por montantes que “amarrariam” o superadobe na estrutura metálica. Não é necessária mão de obra especializada e este tipo de fechamento tem excelentes qualidades térmicas e acústicas.

É LOGO ALI

O Centro Empresarial abrigará em sua cobertura uma Horta Urbana, modalidade de produção de alimentos cada vez mais difundido. Os próprios moradores podem se envolver no plantio ,adquirindo uma ocupação rentável. A principal idéia, que é um dos muitos parâmetros da sustentabilidade, é não percorrer grandes distâncias para ter o fornecimento de qualquer produto. Poderiam os vegetais servirem de alimento nos restaurantes do bairro, ou dos próprios estabelecimentos do setor alimentício instalados no edifício.

BONS VENTOS SOPRAM


 A turbina eólica apresentada na foto (de eixo horizontal), por ser de pequeno porte, pretende ser uma boa alternativa de geração de energia nos grandes centros urbanos, onde o que não sobra é espaço. Estas turbinas podem ser instaladas nos topos dos edifícios e por serem de estrutura muito leve, não sobrecarregam a estrutura do edifício. Toda a cobertura do Edifício receberia a plantação eólica. O edifício tentará necessitar o menos possível de energia elétrica proveniente da concessionária local.

LIXO ÚTIL

Este modelo de aquecedor solar utiliza garrafas PET em sua confecção. As garrafas servem como estufas, esquentando o ar dentro delas. Em seu interior, há tubulações de água fria passando. O ar quente aquece a água e esta se dirige para o boiler (reservatório especial para armazenar e manter a água quente por longos períodos de horas).

NADANDO EM LIXO

Nossos lixões já estão saturados. O sistema de coleta seletiva visa diminuir os resíduos gerados no edifício, sendo que quase 100% de tudo o que produzimos pode ser reciclado, até mesmo os resíduos orgânicos viram adubo para culturas orgânicas (sem uso de pesticidas ou químicas). Não ocupa muito espaço, e pode ser fonte geradora de renda pela venda dos materiais recicláveis. O sistema de coleta seletiva seria implantada também junto à via, incentivando a separação do lixo pelos pedestres.

ENERGIA INESGOTÁVEL

A fachada norte da edificação seria uma empena cega coberta de painéis fotovoltaicos em toda a sua altura. A rotação e o afastamento do edifício permitirá iluminação desta fachada por quase todo o dia. Aqui no Brasil, e em muitos países tropicais, temos a vantagem de a nossa iluminação por hora ser equivalente (em energia produzida) a um dia de sol nos países afastados dos trópicos. Temos de aproveitar esta eficiência. Serão 250m² produzindo energia suficiente para abastecer 10 apartamentos durante 24 horas.

ACESSE A SEGUIR AS PRANCHAS COMPLETAS DO PROJETO DE EDIFÍCIO MULTIUSO SUSTENTÁVEL

PRANCHA 1

PRANCHA 2

PRANCHA 3

PRANCHA 4

PRANCHA 5

PRANCHA 6



Anúncios
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: